INSEMINAÇÃO NATURAL 3 (GOZANDO DENTRO)

Um conto erótico de Camilla Duda
Categoria: Grupal
Data: 25/02/2012 03:00:23
Última revisão: 10/06/2013 01:34:46
Nota 10.00

INSEMINAÇÃO NATURAL 2 (GOZANDO DENTRO)

Por Camilla Duda

()

Oi, me chamo Camilla, sou um pouco baixinha , 1, 65m, tenho 105 cm de quadril, o que sempre chamou atenção dos homens apesar da minha altura, modéstia á parte...rs, também tenho um parto farto par de coxas, daquelas bem gordos e meus seios são bem grandes com as aureolas lindas, sou branca, com cabelos cor de mel, encaracolados até a metade das costas, levemente bronzeada.

Como já escrevi no meu relato anterior, vou continuar a contar o que aconteceu comigo e com o meu marido após sairmos do clube, neste dia fui inseminada por 3 moleques adolescentes e continuava com todo o esperma no interior da minha bucetinha, enquanto ia embora de mãos dadas com o meu marido amado.

Parte 1

Eu e meu marido entramos no carro, ao sentar senti toda a porra quente daqueles garotos fervendo meu útero, fechei as pernas trancando minha buceta e segurei todo aquele esperma virgem dentro de mim, o semen dos 3 garotinhos tarados, meu homem olhou pra mim e sorriu, ligou o carro e foi embora.

Aquele fim de tarde estava lindo, em breve chegariamos em casa e eu não saberia o que fazer com todo aquele gozo quente que estava dentro do meu corpo, meu marido dirigia rápido querendo encurtar o caminho, observei seu pau meia bomba fazendo volume sobre a sunga e lembrei que o tarado ainda não tinha gozado, havia observado aqueles três moleques comendo e gozando dentro de mim mas não tinha soltado o leite pra fora, brinquei com sua ereção e perguntei o que ele pretendia fazer, com carinho, Vini me mandou não deixar o esperma sair da minha xaninha e falou que já estavamos chegando, reparei que ele enviou uma mensagem de celular e recebeu o retorno, perguntei sorrindo o que era aquilo, ele não respondeu e depois de alguns segundos falou que seria uma breve surpresa...

Entramos na garagem e estacionamos o carro, levantei botando a kanga e novamente senti todo aquele creme juvenil dentro da minha vagina enxarcada, tranquei de novo minha xoxota e fui andando para o elevador, obedecendo o meu macho e mantendo todo o liquido dos jovens no meu útero, aquilo me dava tesão mas me deixava preocupada, eu não estava tomando anti-concepcional, eu eo meu homem querido estavamos tentando engravidar a seis meses e não conseguiamos, aquela situação me deixava com prazer mas ao mesmo tempo tensa e pensativa.

Chegamos em casa, meu marido abriu a porta, entramos e em seguida ele atendeu uma ligação e foi direto para o quarto, eu sem entender botei minhas coisas na sala e fui beber um pouco de água, fechei a geladeira e ao voltar vi o meu marido completamente nu com o pau duro que nem pedra, me olhou sorrindo e falou:

-Aqueles moleques gozaram na sua bucetinha né amor? agora é a minha vez.

Parte 2

Eu repliquei, sentia minha vagina toda melada e queria tomar um banho, pedi para o Vini esperar um pouco mas ele não deixou, puxou meus cabelos e me beijou os lábios com amor, envolveu a mão em minha cintura e chupou a minha boca com tesão me levando em direção ao sofá, me colocou sentada e botou o seu corpo suado sobre o meu, senti todos os 17cm de pica dura do meu macho na mão, apertando ela com força e sentindo meu marido mamar os meus peitões com um tesão sobrenatural, lembrei dos adolescentes mamando a minha teta na frente do meu machinho e senti prazer, ele me olhou e sorriu, tornou a chupar o bicão do meu melão enquanto eu esfolava sua rola e gemia baixinho, pisquei a minha vagina e senti mais uma vez todo o esperma daqueles três garotos, meu homem apertou meus seios com tesão e em um movimento só, tirou a parte debaixo do meu biquini, fiquei constrangida e vi o tarado vislumbra a minha buceta enquanto eu me mantia de pernas abertas, toda arreganhada no sofá, vi que tinha um pouco de esperma saindo da porta da minha xereca e também um pouco de gozo sobre o meu grelo, o Vini esfolou seu cacete fino e passou no meu grelinho inchado, removendo todo o esperma sobre ele el evando pra porta da minha xana, se enclinou sobre o meu corpo me beijando, posicionou sua chapeleta na minha raxa e falou no meu ouvido:

-Eu vou empurra todo esse gozo lá pro fundo amor....Shhh....vou empurrar essa porra com meu pau.

Eu fiquei sem graça mas ao mesmo tempo revirei os olhos de prazer! Senti a rola do meu homem entrando cuidadosamente até a metade da minha raxa bem devagarzinho, empurrando todo o esperma daqueles garotos pro meu fundo, senti todo o semen dentro de mim ser levado pelo cacete do meu macho até a metade do meu canal, ele tirou sua piroca bem devagar e admirou o buraco da minha buceta:

-Isso amor..Shhh...Abre essa buceta...não deixa sair nada...Shhh....To botando toda essa porra pro fundo.

Eu continuei arreganhada, com as pernas abertas eu abria minha vagina toda pro meu maridinho, mostrando o meu canal alargado e absorvendo todo o liquido dentro de mim, ele abriu minha buceta com a mão e tornou a afundar a sua rola, só que agora atolou seu cacete fino até o saco mantendo-o dentro de mim e socando sua cabeça bem no fundo do meu útero, senti todo o esperma dos garotos sendo arrastado pro fundo da minha buceta, meu macho ainda afastou um pouco e tornou a afundar seu caralho mantendo o semen juvenil bem no final do meu canal, gemi e gritei de tesão, me contorci e pedi pra ele se afastar um pouco, meu macho me dava cabeçada de rola sem tirar o pau, atolava seu cabeçote batendo seu cacete duro na boca do meu estomago, sentia todo aquele leite dos outros melar o meu ovário de puta enquanto o meu macho pressionava o seu penis contra ele, misturando o esperma dos garotos que me inseminaram com a cabeça do seu cacete...o corno do meu homem encaminhava espermatozoide juvenil pro meu interior com a própria rola, sentia todo o calor daquele leite aquecer seu pau, Vini empurrava com força o líquido mais e mais pro final da minha xereca, querendo engravidar a sua esposa com o esperma de terceiros.

Parte 3

Pedi mais uma vez pro Vini ir devagar, sentia o seu pau cutucar o meu fundo sem dó enquanto ele já enfiava e jogava o seu corpo contra o meu com força, estava me machucando e me fazendo gritar de dor, ele me olhou e sorriu já suando em cima de mim, diminuiu um pouco e tornou a atolar a pica até o final forcando com forca sua rola dura contra meu corpo:

-Aguenta amor...Shhh...Tem que mantér essa porra lá no fundo..Shhh...Bem lá no seu útero...

Eu olhei pra ele assustada, não imaginava o que ele queria dizer com aquilo, queriamos engravidar e não estavamos conseguindo, mas desse jeito não era uma maneira muito correta!

Eu em meio a dúvidas e tesão pedi mas uma vez pra ele parar, meu homem me pediu pra relaxar me beijando a boca e forcando sua rola contra mim sem tirar:

-Deixa dentro amor...Shhh... Deixa eu afundar esse leite no seu utero, deixa?....Shhh...Deixa eu força ele bem no fundo.

Senti mais uma vez a cabeçona do meu homem me pressionar, usava sua piroca como se fosse um pilão apertando sua chapeleta contra o meu fundo e mantendo o esperma dos 3 adolescentes sobre a pressão de sua chapeleta permanecia assim por alguns segundos, tirava a rola ate a metade e tornava a levar o gozo dos garotos pro fundo da minha buceta, forçando a piroca no fundo dela, eu me sentia uma vagabunda, o meu homem me abusava atolando sua rola sem pena dentro de mim me fazendo sentir o esperma de um bando de moleques que eu nunca havia visto!

Sentia aquele liquido jovem agora ser conduzido pro meu utero e ser armazenado lá com pressão, por completo!

Pressionado contra o meu interior e mantido em atrito com meu orção pelo pilão inseminador do meu marido.

Olhei pro rosto do meu esposo amado vi todo o seu tesão dele, me fitou os olhos e sorriu, pressionou agora mais forte seu cacete e ainda riu de mim como se eu fosse uma vagabunda:

-Tá sentindo amor?....Shhh....To deixando esse leite lá no seu fundo...Sua putinha.

Ele me provocava, me machucava e iseminava sua mulher que nem uma vaca sem me respeitar, tornou a tirar seu pau e afundou denovo até o saco, contrai minha xana e senti mais uma vez todo o creme daquele esperma jovem tocar o meu útero e ficar lá, olhei pro meu homem e resolvi dar o troco:

-Você gosta seu corno?...Shhh...Gosta de sentir essa porra de outro macho no seu pau?

Ele pareceu não gostar, fez uma cara de deboche e atolou o pau denovo com força, me chamou bem alto de vagabunda e coontinuou a pressionar a chapeleta cheia de porra dentro de mim, me ofendi com a ofensa e continuei a provocá-lo:

-Tá me xingando, tá?..Shhh... Tá seu corno?...Tá usando a porra de outro macho pra me engravidar?

Seu puto...Shh... Tá usando outra porra né?..Shhh...Seu cornooo....Shhh...Vai criar filho dos outros seu corno!

Parte 4

O Vini gemeu de prazer, pingava suor sobre o meu corpo e não tirava 1cm de pica de meu interior, me olhava nos olhos me xingando e ouvindo o meu troco sempre imediato, me punia me machucando com a pica e eu revidava o humilhando sem pena:

-Seu filha da puta...Shhh....Tá melando seu pau com a porra deles, né?...Shhh...Seu corno...Shhhh.

Tá me inseminando né seu corno?....Shhh...Vai.... Leva o leite deles pro meu útero...Vai...Shhh.

Nessa hora meu macho gritou de tesão, infurecido começou a tirar sua rola fina até a metade e afundar dentro do meu corpo, me abraçava com força e fodia agora descontrolado, continuou me ofendendo, me rebaixando a piranha e eu gemia em seu ouvido:

-Foooode...Shhh....Fode essa buceta quente de porra...Shhh....Fode essa buceta gozada seu corno...

Me arromba seu puto....Shhh....Sente o gozo deles amor!

Meu macho não aguentou, me beijou com carinho gemendo que nem uma criança e anunciou a sua gozada, me comia com força deixando a porra fluir na sua pica dura e doido pra explodí-la dentro de mim, eu continuava toda arreganhada, o saco do meu macho batia com força na minha bunda e eu sentia o talo daquele piru fino no final da minha bucetinha me entalado por completo, segurei em suas costas e senti ele tremendo de tesão, deu a última estocada bem forte e deixou o seu cacete duro repousado no fundo da minha vagina, pulsou o seu caralho por duas vezes e soltou o seu esperma quente dentro de mim, gritando que nem um adolescente e tremendo sobre o meu corpo:

-Goza dentro de mim amor...Shhh...Eu to sentido...Shhh.. Solta o seu leite, solta!...Shhhh....Me da mais!

Solta essa porra..Shhh.... Goza junto com eles amor...Shhh.... mistura a sua porra!

Meu homem rosnava, gritava e latejava o seu pinto ereto todo dentro do meu canal, tirou alguns centimetros de pau e tornou a atolar, senti mais dois jatos fortes de gozo sairem daquela chapeleta inchada, abracei ela com a minha xerequinha e senti toda a umidade da porra do meu macho cair depositada no meu útero, se misturando com o semen dos outros garotos, meu homem pressionava seu caralho com força e gritava de prazer, minha buceta era um deposito de esperma, parecia ter meio copo de porra quente dentro de mim, se misturando e me fecundando que nem uma vaca, o meu homem não parava de jogar a sua contribuição de leite dentro do meu corpo, despejou os ultimos jatos no meu útero com toda as suas forças:

-Isso amor...Shhh...Me da toda a sua porra, me dá?..Shhh....Joga esse leite que nem todo mundo fez, joga?...Shhh

Insemina a sua esposa,vai...Shhh... Sua puta recebeu 3 porras na buceta...Faltava você meu amor...Shhh.

Sentia aquele pau latejar, o meu marido querido tremia e sentia o seu semen adentrar o meu corpo e se tornar um só junto com toda aquela porra adolescente, tirou o seu pau ainda duro com cuidado e ao sentir a porra sair, não deixou, ajeitando o liquido com a chapeleta, estacionou toda a porra que saia do meu canal bem na porta da minha vagina, olhou pra mim e falou:

-Amor, tranca essa bucetinha com força...Shhh....continua assim...

Eu tentei replicar mas nesse momento a campainha tocou e o meu marido foi em direção a porta.

Parte 5

Ao abrir vi do que se tratava, o meu marido havia dado um jeito dos garotos virem lá pra casa, não entendi e me surprendi com toda aquela estória louca, como o meu macho havia conseguido trazar aqueles moleques até ali?

Fiquei ainda mais sem reação, quando vi o Vini dando uma nota de cem reais na mão de cada um e mandando os três entrarem, ele havia pago para aqules adolescentes tarados!!

Pensei em reclamar com ele e observei-o cochichando algumas palavras, pediu que os meninos se sentassem no sofá em frente a mim, fiquei envergonhada, estava com a buceta toda arrombada e melada de esperma, parecia uma vagabunda com as minhas pernas arreganhadas expondo toda a mistura dos 4 leites dentro da minha vagina inseminada, meu amado veio até mim e botou a mão sobre uma de inhas pernas a mantendo aberta, os garotinhos abodeceram o meu marido e se sentaram, antes disso para meu espanto respeitando um sinal do meu esposo abaixaram suas sungas e shorts expondo os seus três membros juvenis pra fora! Olha aonde isso tinha chegado!!

Se sentaram e novamente a um novo pedido do Vini, começaram a se masturbar de frente pra minha buceta, observando

todo o meu sexo violado.

Tentei replicar com o Vini para pararmos, ele sorriu e sussurou carinhosamente pra mim, abriu minhas pernas me expondo mais arreganhada ainda e tirou seu pau meia bomba pra fora, exibiu sua rola para todos e começou a esfolar seu cacete para mim e os meninos, olhei para os garotos e logo procurei o Thales, observei aquele adolescente cor de jambo cruzar seu olhar com o meu e abaixar o rosto sem graça, fiz o mesmo constrangida, desviei o olhar para o meu marido mas pude ver que o menino já exibia a sua rola grossa se punhetando e esticando aquele mastro grosso de 17cm, o danado espiava a minha xerequinha melada e bolinava aquela piroca, que era muito avantajada pros seus 16 anos de idade, lembrei daquela maçaroca dentro de mim afundada até o talo e jogando porra no fundo da minha buceta, meu marido não havia feito nada, deixou os três moleques ejacularem dentro do meu corpo e e ainda havia os levados pra nossa casa.

Relembrei todos os jatos de porra que aquele cacete grosso havia soltado no meu útero, o menino Thales me abriu a vagina enquanto o corno do meu marido observava um adolescente de 16 anos com a pica bem mais grossa que a dele, me arrombar e plantar esperma jovem no meu sexo fértil, agora o mesmo moleque com os seus colegas, se masturbavam em minha frente e olhavam a vagina que haviam gozado dentro, meu homem já punhetava o seu cacete completamente duro, mostrava seu mastro e obsevava a minha vagina como um troféu, exibindo com orgulho a sua mulher toda gozada e arrombada, comecou a falar com os garotos com safadeza, insentivava os meninos a olharema minha buceta e pedia para continuarem se masturbando, levantei o rosto e novamente fitei o Thales, aquele indiozinho adolescente punhetava seu cacetete moreno bem rapido, me olhava toda aberta que nem uma puta e se punhetava como se estivesse vendo um filme pornô, no meio do sofá estava o galeguinho de 14 anos, o loirinho também acompanhava o amigo e brincava com a sua varetinha de neném, esfolavava sua piroquinha já dura e me olhava hipnotizado, se punhetava com velocidade, as vezes batendo o braço no seu outro amigo que também fazia o mesmo, o moreninho mais novo também punhetava sua varetinha seguindo os passos do Galeguinho e do Thales, observava os três punheteiros me usarem como piranha enquanto meu marido abria meu sexo e se bolinava a poucos centimetros da minha vagina melada, agora esfolava se pau ajoelhado a meu lado, enquanto eu deitada no sofá, exibia o meu corpo para todos.

Parte 6

Meu marido fez sinal pro mais novo levantar, ele sorriu meio sem graça não sabendo o que fazer, meu homem insistiu e acabou convencendo o menino a se por de pé, observei aquela varetinha morena de 14 centimetros balançar de tão ereta e exibir todo o tesão adolescente daquele moleque, seu corpo franzino de 14 anos contrastava com seu pênis de moleque que se mostrava duro que nem um bastãozinho e latejante de prazer, ele se aproximou e observou minha buceta, meu homem fez sinal pra ele continuar se masturbando e pediu que ele colocasse o seu penis dentro de mim, eu não acreditei, tentei abaixar a cabeça sem graça e olhei pro meu esposo, esperando ao menos um pedido dele, o Vini pareceu me ignorar e abriu as minhas pernas pedindo mais uma vez pro moleque enfiar seu piruzinho dentro de mim, ele timidamente se ajoelhou e posicionou seu piruzinho perto do meu sexo mas pareceu sentir nojo ao ver a minha xereca toda suja de tanto esperma, estava com o cacetinho duro de tesão e se masturbava sem parar, mas parecia não quere me comer, e confesso que nessa hora eu até achei melhor mesmo.

Nao queria aqueles moleques me violando de novo, eu já estava com minha bucetinha toda suja de porra quente e ainda podia sentir aquele meio copo de semen no fundo do meu utero, meu hoemem abriu minhas pernas e ao lado do menino a poucos centimetros, esfolou sem cacete duro se masturbando com rapidez, o menino fazia o mesmo, ouvia o insentivo do meu homem e se punheta a menos de 10 cm da minha xereca molhada, eu observava aquilo abismada, o meu querido homem estava se punhetando quase com a cabeça na minha buceta e ainda colocava aquele moleque de 14 anos com a piroca perto de mim, ensinando-o a se masturbar e mandando-o não parar, eu via aquela pica pequena de 14 cm latejar enquanto o garoto se esfolava e se masturbava sem pena.

-Isso Garoto....Shhh.... Vai, não para, toca punheta bem rápido e goza...Shhh....Não precisa comer a buceta...Shhh

É só gozar , vai....Shhhh....Deixa vir filho...Shhh....Goza na minha esposa.

Eu olhei meu macho e vi seu rosto possuido de tesão, ele se masturbava que nem os adolescentes, perdia a linha punhetando a sua rola dura e dando ordens par ao moreninho ejacular, eu nao ia deixar aquilo acontecer, já estava passando dos limites e resolvi falar com o Vini, mas nessa hora ele abriu mais as minhas pernas e chegou o moleque ainda mais pra perto de mim:

-Vai filho...Shhh....Goza em cima dessa buceta vai....Shhh....Eu te paguei pra isso...Shhh....Vai goza....

Nesse exato momento em que eu ia expressar toda a minha revolta, me distrai com o moleque gritando, olhei sei rosto e vi o meninno fechar os olhos com forca e levantar a sua cabeça pro teto, urrando ele esfolou sen cacetinho fino e soltou uma jatada forte de porra em cima da minha buceta, marcando um rasto sobre meu grelo e cruzando os meus lábios vaginais, meu marido me abriu mais as pernas e gemeu, o meninno novamente choramingou alto e punhetou sua varetinha, pude sentir mais dos jatos de leite baterem sobre meu sexo, um foi jorrado no centro da minha raxa, caindo contra o meu botão inchado e escorrendo até a porta da minha xerequinha, o outro espirrou todo sobre o meu grelinho, fazendo uma piscina de esperma ralo sobre o meu botaozinho inchado, vi aquela risco de leite me sujando toda e atravessando meu sexo, eu e Vini observamos o traço de esperma sobre meus pentelhos, vimos aquele semen jovem escorrer, novamente caindo e procurarando o fundo da minha bucetinha, o moleuqe urrou e liberou os 3 últimos gichos de leitosa, marcando toda a entrada do meu sexo cos suas jatadas juvenis, meu homem se masturbava enquanto olhava a vagina da sua esposa toda suja de mais um semen alheio, toda inundada de porra.

Além de ter autorizado 3 espermas inseminarem o meu útero, meu homem direcionava a todos, o galeguinho havia se levantado e estava ao lado, observou toda a cena e fez um breve gesto pro meu marido pedindo alguma coisa, tomou o lugar do moreninho e sorriu pra mim, eu observei aquela piroquinha albina dura, a menor de todas, tinha apenas uns 12 pra 13cm mas estava totalmente ereta como a de um bom adolescente tarado, se masturbava agora ajoelhado em frente a meu sexo o meu homem continuou se punhetando perto de mim, segurou uma de minhas coxas me abrindo e falou pro galeguinho:

-Entra dentro dela filhão...vai....Shhh....Enfia seu pau nela e goza.

Parte 7

Na mesma hora eu neguei, fechei as pernas e mandei o meu marido acabar com aquilo, me sentia suja e agora além de ter o meu útero todo gozado, via a minha buceta toda coberta de esperma, as 6 jatadas de leite daquele garoto tinhas me sujado toda, minha vulva estava toda aquecida por aquele liquido ralo e jovem, meu marido insisitu abrindo minhas pernas falando que ele só ia gozar fora, replicou pra me manter na mesma posição e pediu que o galeguinho de pau minímo continuasse se masturbando, olhei pro meu esposo puta da vida, mas obedeci e continuei de pernas abertas, observando o moleque se aproximar e masturbar aquele piruzinho albino perto da minha xaninha, se bolinava e olhava pra minha xereca toda aberta e gozada, Vini continuou esfolando o seu pau bem proximo dele, supervisionando de perto a punheta do moleque perto do meu sexo:

-Isso filho...Shhh...Continua vai....Joga esse gozo em cima da buceta vai...Shhh....Não para não.

O menino gemia, suava e punhetava rápido a sua piroquinha jovem, eu havia a poucas horas tirado o cabaço desse garoto e deixado ele me inseminar com a sua varetinha branca, agora o mesmo loirinho buscava todo o resto de esperma que ainda tinha naquele saco virgem pra satisfazer o meu macho e gozar em cima de mim, meu homem pedia e insentivava o moleque a despejar o seu liquido sobre a porra de seu amigo, o Thales observava tudo a poucos centimetros, ao lado oposto do meu marido o moreninho de pica grossa se masturbava discretamente e espiava o amigo galego prestes a gozar, olhava o meu macho esfolar a sua rola dura e me abrir e parecia gostar do que via, meu homem continuava a direcionar o jovem:

-Vem garotão...Shh....Deixa sair esse gozo deixa...Shhh....goza tudo em cima dela cara...Shhh...não para.

O garotinho se acabava na punheta, via o seu saquinho balancar rápido euquanto ele buscava o leite juvenil lá no seu escroto, se masturbava forte enquanto o meu marido fazia o mesmo, punhetava seu pau duro ao lado do moleque, esperando mais uma gozada na buceta da sua amada esposa:

-Vai filho..Shh..Goza...Olha o pau do tio olha...Shhh....olha meu pau duro...Shh....Ta que nem o seu...Cheio de tesão!

O garoto observou o meu macho esfolar sua rola de 17cm a seu lado, exibindo toda a rigidez daquele caralho adulto cheio de veias, o galeguinho se masturbava e olhava o meu marido se bolinar, Vini esfolava sua piroca até o talo incentivando o moleque a gozar, o lorinho se punhetava a poucos centimetros da minha buceta e espiava o mastro fino do meu homem, olhava o meu machinho e fazia o mesmo perto da minha xana, senti tesão com a cena, o Vini fazia parceria com aquele adolescente e lado a lado se masturbava em conjunto com ele, bem perto do meu sexo inseminado, o garoto olhava hipnotizado pro cacete de ferro do meu esposo e gemia de prazer não parando sua punheta:

-Isso filho...Shh...Toca punheta com força, vai...Shhh....Olha como o meu cacete tá duro...Shhh... Tá vendo?

O moleuqe gemeu, batia sua mão com força esfolando o seu pauzinho fino e olhava o penis duro do meu marido a seu lado, parecia que gostava de ver o Vini exibir sua rola ereta e se insentivava a cada palavra dele, meu homem era um depravado, viu que o garoto tremia de tesão e parecia não conseguir se segurar, esticou toda a pele de seus 17cm e segurou o talo da sua piroca exibindo ela completamente dura e estática para o garoto olhar, mantendo-a parada ao lado do galeguinho:

-Aqui filho o meu pirocão...Shh...Olha que piroca grande ta vendo?...Shhh...Olha a piroca do tio como tá dura...

O garoto vislumbrava o penis ereto do meu homem e aumentava o ritmo da punheta, esfolou seu cacetinho de 13cm e gritou, soltou trés jatos de porra sem direção e muito rápido, fazendo o seu leite inquieto cair sobre meu grelo, buceta e perna, parecia um bezerrinho ejaculando, soltava aquele semen juvenil sem controle jorrando seu suco sobre meu sexo e satisfazendo o meu marido, chegou mais perto e soltou mais duas leitadas densar que cairam sobre o meu grelo, o moleque ejaculava e nao tirava os olhos do meu macho se bolinando:

_Isso garoto....Shhh... Goza tudo vai...Shhhh...Goza em cima dessa vagabunda, goza...Shhh.

O garoto gritou mais uma vez e agora olhando pra minha xereca esvaziou seu saco despejando todo o resto de seu esperma sobre minha buceta, bufava e soltava mais creme branco sobre mim, mais 3 jatos magros, senti a porra quente daquele loirinho deslizar pelo meu grelo e rastejar pra entrada da minha vagina, o meu homem gemia de pau duro e abria a minha perna ainda mais, observando aqueles dois espermas se misturarem na entrada da minha bucetinha, estava enxarcada de gozo juvenil.

Parte 8

O Galego se afastou um pouco e caiu desfalecido ao lado do outro moreninho que já havia gozado, os dois ficaram caidos sobre o sofá exaustos da inseminação que haviam participado, pude ver o Thales mais perto, só de olhar o mastro moreno daquele garoto minha bucetinha piscava, aquele moreno de 16 anos tinha uma piroca jambo de 17cm e a grossura daquele cacete mulato era fora do comum, lembrei do moleque soltando leite no fundo do meu útero, quando suas mãos apertavam minhas bunda grande com tesão enquanto eu afundava minha xerequinha gozada até o final e recebia o semen dele no meu interior, havia delirado de prazer sentindo aquela maçaroca grossa na minha vagina, prazer que o meu marido não conseguia me dar.

O Vini pareceu perceber o meu olhar e se aproximou de mim, eu estava com nojo do meu corpo que estava suado e sujo, os últimos jatos do loirinho escorriam sobre o meu sexo fazendo uma parede leitosa sobre ele, selando a entrada da minha vagina e me mantendo enxarcada de leite, meu macho esfolou a sua piroca dura e passou sobre o meu botão concentrando todo o liquido dos garotos em cima dele, abriu mais a minha perna botando o meu corpo um pouco pra trás e arrastou todo aquele leite cuidadosamente pra porta da minha vagina, levantei o rosto e vi toda a minha xaninha limpa e mais abaixo uma piscina de porra quente repousada na entrada da minha xana e quase escorrendo, o Thales chegou mais próximo pra observar e nessa hora o meu marido fez o esperado, forçou sua cabeça inchada empurrando devagar todo o leite pra dentro de mim, sem deixar pingar nada ele colocou toda sua chapeleta por completo e a tirou bem devagar, mais uma vez passeou seu cabeçote sobre meu sexo, buscando qualquer residuo de esperma sobre ele, usava seu cacete de vassoura, faxinando a minha xereca e levando todo o semen que sobrava pra porta da minha vagina, senti toda a porra que o meu macho havia conduzido bem no meio do meu canal, me aquecendo o corpo, todo o semen que aqueles moleques haviam jorrado estavam lá e o que ainda faltava, o Vini tratava de limpar e levar pra minha entrada.

Novamente concentrou o resto de semen que faltava, posicionou com cautela sua vara e empurrou o seu cacete, dessa vez o metendo muito devagar até a metade, senti todo o liquido quente daqueles garotos sendo empurrados pelo pau do meu marido, Vini tirou o seu cacete vagarosamente tornou a afundar com carinho, levou todos seus 17cm centimetros até o talo me fazendo receber todo aquele esperma no meu útero gozado, sentia seu membro até o final pressionando aquele liquido quente na boca do meu estomago e mantendo sua chapeleta lá, esfregando esperma na parede, gemi sem querer, meu macho percebeu e tornou a pressionar seu pênis, agora bem mais forte, latejava sua vara dura e afundava contra o final do meu corpo, mantendo as seis gozadas bem no meu interior, eu tinha mais de 20 jatos de porra dentro da minha xereca, sentia aquela quantidade anormal de esperma me inundar e permanecer lá, sendo acolhido e guardado pelo meu corpo, tinha a sensação de ter um balde de porra quente sendo pilado pelo pau do meu homem, sendo pressionados contra o meu ovário e armazenados lá, forçando uma inseminação em massa.

Tranquei minha xaninha e urrei alto sem querer, meu homem gemia de prazer, aproveitou para me foder, tirava 4 centimetros do seu cacete fino e tornava a atolar até o final, eu estava com tesão, observava agora o Thales exibir aquele tronco moreno totalmente duro enquanto o meu homem me comia a buceta gozada, tornou a tirar seu pau e agora afundou be forte, eu abri minhas pernas e gritei da estocada do meu macho sentindo sua chapeleta bater no meu fundo e empurrar porra pro final dele, movimentei meus braços e de forma instintiva agarrei o pau do Thales, segurei todo aquela jeba grossa na mão equando sentia o corpo do meu marido me foder forte, eu sem graça vi o meu macho me observando, ele viu minha mão no cacete do garoto e falou:

-Segura esse pau sua puta...Shhhh...Segura esse pau grosso enquanto eu te fodo...Shhh....Sua piranha...

Esse cacete é grosso é?...Shhh.. tá segurando esse cacetão grosso enquanto eu te fodo?

Meio encabulada pensei em soltar aquele pauzão fiquei sem graça mais logo senti uma nova estocada do meu marido, ele afundou até o talo e começou a me bombar com força fazendo o meu peitão balancar, senti a porra dos outros moleques lubrificando o pau do meu macho que socava sem parar e observava a minha mão segurar o cacete grosso do Thales, como se fosse um poste:

-Segura no pauzão dele, segura!...Shhhh...Isso sua vagabunda, segura no pau grosso enquanto eu te fodo!

Abriu as minhas pernas ainda mais e anunciou a gozada, me xingou novamente me chamando de piranha e atolou sem dó sua pica fina no meu buraco, gritei e xinguei ele de volta:

-Aaaai porra! Fode então seu corno....Shhh...to segurando esse pauzão grosso sim, olha!....Olha esse pau de verdade.

Meu macho se infureceu, me humilhou mais um vez na frente dos garotos e atolou sua rola soltando seu leite bem no

final da minha vagina, sentia aquele liquido quente mais uma vez se perder com os outros espermas, todo o semen do meu macho querido se misturou com o dos outros e ficou ali sendo pressionado contra o meu útero enquanto ele gritava e me via segurar a rola grossa daquele moreno adolescente:

-Isso amor....Shhh..Goza dentro também goza...Shhhh....Goza junto com eles, vem...Shhhh..Da seu leite também!

Meu marido gemia alto e não parava de tremer, tirou um pouco do cacete e tornou a dar mais duas jatadas dentro de mim, gritava de tesão obsrvando a minha mão punhetar o Thales e soltava o seu esperma quente com vontade, eu apertava aquele mastro grosso e via os 17cm de piroca do moleuqe latejarem na minha mão, aquela chapeleta vermelha escura brilhava de tão inchada, enquanto aquela macaroca grossa pulsava na minha palma, comecei a punhetar aquele caralho de ponei, enquanto o meu homem me inseminava:

-Vai amor...Shhh....Solta todo o leite seu corno....Shhh....lá no fundo vai...Shhh...sente a porra deles.

Final

Contrai minha raxa com meu homem todo dentro, continuei punhetando forte o garoto e sentindo o resto de esperma do Vini ser depositado no meu interior, olhei para o lado e vi o Thales gemendo alto, o moleque se afastou e tentou tirar a minha mão de se pau, eu continuei a punhetar sem parar e ele replicou avisando que ia gozar, o meu marido tirou sua rola de dentro de mim e se afastou, abriu minhas pernas e falou com o garoto:

-Vem aqui filho...goza aqui vai...Vem rápido.

O garoto se apressou, pude ver sua macaroca grossa a poucos centimetros da minha vulva, enquanto o mesmo se esfolava e se preparava pra penetração, eu queria para por ali mas ao ver aquele cacete moreno e grosso senti vontade de recebê-lo no meu interior, abri minhas pernas esperando aquela grossura me abrir e me arrombar como o meu marido não conseguia fazer, meu homem querido continuou ajudando e mandou o moleque entrar dentro de mim de uma vez só, me chamou de prostituta e falou que eu ia receber a última gozada do dia, senti raiva do Vini e quando ia responder o Garoto atolou toda a sua chapeleta grande deslizando o seu pau grosso até o saco e me alargando as paredes da vagina por completo!

Urrei de tesão, tranquei minha xaninha e senti todo aquele mastro de ponei abrindo o meu canal e alargando os meus limites, enquanto o seu cogumelo grande repousava no meu fundo junto com o poço de porra, o garoto gemeu, tirou um pouco seu piru e imitando o meu marido tornou a enfiar até o talo, mantendo todo o tronco grosso dentro de mim, choraminguei e senti o moleque urrar de prazer, lacei minhas pernas por tras de seu corpo e levemente o seu corpo caiu sobre o meu, abraçei aquele fisico jovem e esperei uma reação do garoto, o mesmo não exitou, tirou o pau ate a metade e tornou a enfiar me arrancando um gemido descontrolado, ele estava em cima do meu corpo, quase num papai e mamãe atolando sua jeba morena ate o final e tirando, urrei em seu ouvido e sem querer beijei levemente seu pescoço, nessa hora o menino gritou de prazer, aumentou o ritmo da estocada sem tirar seu pau grosso e virando em minha direção me encarou como um homem de verdade e beijou a minha boca sugando meus lábios e afundando o tronco moreno todo em mim, meu marido viu aquilo e pareceu não acreditar.

O moleque abusado afastou seu rosto, tirou sua pica até a metade e repetiu a ação, afundou rola em mim e me beijou com tesão enquanto o meu macho observava tudo perplexo, não me contive e segurei as costas do moreno sugando os seus lábios de crianca e sentindo sua pica de adulto toda no meu buraco, ele urrou e me beijou mais uma vez:

-Tá dando pra ele sua puta?...Shhh... Ta dando a buceta e beijando ele né?...Você é uma piranha mesmo.

Fiquei braba com o Vini e afastei meu rosto do Thales, o moleque tarado tornou a me fuder com força e me arrancou um grito de tesão, tentei me controlar mas ele repetiu a operação e sugou os meus lábios com talento, urrei e beijei o garoto sugando toda a sua boca com amor, que nem fazia com o meu marido, abracando seu corpo e recebendo ele em meu interior:

-Sua puta...Shh... Tá beijando o moleque...Você é uma vagabunda amor....Shh....Você é uma piranha!

Tirei novamente meu rosto da direção do garoto e olhei pro meu marido tentando fazer com que ele parasse de dizer aquilo, ele olhou bem nos meus olhos e com a mão no pau repetiu novamente, me xingando e me rebaixando a puta, o garoto botou a mão entre meus cabelos com carinho e me sugou a boca com amor, senti todo o tesão adolescente daquele menino fluindo em seu corpo, observei o meu homem novamente deboxar de mim e respondi:

-Olha então seu corno..Shh...Olha esse moleque me comer, olha?....Shhhh....Olha ele me foder com essa piroca grossa

Tá vendo?... Shhh....Tá vendo como ele me fode com tesão?...Tá me comendo gostoso amor.

Senti o Thales se afastando e gritando de prazer, o Vini me xingava sem parar, agora insentivando o moleque a gozar também, eu sentia toda aquela grossur morena dentro de mim buscando prazer enquanto aquele menino tarado beijava a minha boca e me usava na frente do meu macho, eu beijava o moleque e falava ao mesmo:

-olha amor...Shhh...Isso que é pica grossa....Shhh...Nossa, a pica dele é muito grossa amor, melhor que a sua!

Meu homem se infureceu, mandou o moleque me comer com força e instigou a 8 gozada dentro do meu útero, me rebaixou a vagabunda, falou que eu merecia porra quente:

-Quer que eu leve porra, quer?...Shhh....Olha ele me comer de verdade amor...Sh... Esse moleque de 16 anos me come melhor que você.... Seu corno, olha...Shh.... olha ele comer seu corno...Ele tá me arrombando amor..é muito grosso!

O moleque pressionou seu corpo sobre o meu e me abracou, senti ele sobre mim suando e tremendo de forma dscontrolada, a cada latejada do menino eu sentia um jato grosso de esperma sair pulsando daquele cogumelo, aquela chapeleta gigante pulsava forte no meu fundo e me inseminava mais uma vez me fazendo sentir todo o leite dele se misturar com a piscina de porra dos outros, abracei aquele corpo jovem aproveitando aquela sensação, sentia seu suor pingar em cima de mim e sua maçaroca grossa pulsando forte em meu canal por 6 vezes, soltando todo o semen no meu fundo sem tirar 1cm de pica, aquela chapeleta grande despejava os jatos de gozo sem parar, um atrás do outro, tranquei a xereca e senti todo o semen do Thales se tornar um só junto com aquele mar de esperma, meu macho ao lado me observou e sorriu, viu o corpo jovem do menino deitado sobre o meu e pareceu satisfeito com tudo, sua mulher havia tomado 8 gozadas dentro da vagina e ele parecia feliz, Vini dispensou os moleques e fechou a porta, me beijou com muito amor sentindo a saliva daquele moleque sobre meus lábios, pediu que eu botasse a calcinha, me vesti e levantei, fomos dormir, abracei o meu macho e fechei os meus olhos, sentindo todo o esperma adormecido no meu útero e repousando lá até o amanhecer.


Este conto recebeu 0 estrelas.
Incentive Camilla Duda a escrever mais dando dando estrelas.
Cadastre-se gratuitamente ou faça login para prestigiar e incentivar o autor dando estrelas.

Entre em contato direto com o autor. Escreva uma mensagem privada!
Falar diretamente com o autor

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
23/05/2018 13:12:20
LINDO CONTO E QUE MARIDO MAIS LIBERAL (há poucos como ele) VOCÊ GOSTA DE TER PRAZER E A ELE DÁ-LHE PRAZER VER A MULHER A FODER E SENTIR O LEITE DOS OUTROS DENTRO DELA. LINDA A VOSSA RELAÇÃO SEXUAL. PARABÊNS.
23/08/2016 15:09:54
hum! quero ser seu cavalo tambem gostosa e meter meus 22cm todo na sua xoxota e seu cuzinho me add vou fazer vc gozar bem gostoso
30/03/2016 02:29:10
A MELHOR AUTORA DA CASA dos CONTOS! CONTINUE!!
dmm
02/04/2012 14:40:12
Continua muito bom.
25/02/2012 23:18:08
Adorei seu conto, rico em detalhes e vc merece um 10
25/02/2012 16:45:06
NOSSA ESSES SEUS CONTOS ME DEIXOU LOUCO DE TESAO QUERIA SER UM DESSES SORTUDOS LEIA OS MEUS TAMBEM TA

Online porn video at mobile phone


pai passa pelo quanto da filha e ver ela dormido so de pijama no porno doidoesposa bem dotado contos sandrafui abuzado no acampamento por negao contos eróticos contoerotico namorada e mae putas do tio jorgecontos eróticos dando de mamar minhas tetas desde pequenaflorinhas que novinha da bunda grande dando a b*****comi minha cadelanegão pauzudo comendo a forca faxineiro do hotelmtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1cache:3A3-3V1yYz4J:gtavicity.ru/tema/choro%20na%20vara%20a%20x%C3%B3linha%20! contos de sexo depilada na praiavwio de lanterna o donzelo so que não xnxxassistir filme pornô zinho com carinha de anjoconto lavador de carro pauzudoContos eroticos de sogras submetidas a dominaçao pelo genrocontos eiroticos leilaporncontos eróticos de zoofilia da autora ketmarina da autora ketmarinapadrasto e intendenda gostosoxvideo carreteiro sendo massageadopeguei a novinha magrinha porquê ela insistiucontos eroticos menage biconto erotico esposa de lycra .com pacotao partidomulher transando com picasdeborrachacontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgesou puta e amo porra dentro da minha buceta conto eroticopornodoido de negãos arebentandos as pequenas loirinhasgorda girando o cu na rola jigante videos caseiroscontos sinhozinho mamou meu grelinhoxvidiocasada se fudeu na camaler contos eroticos menagecontos erodicos comi minha netanovia damdo a bucetinhatia tira vigindsde fo subrih do pau prquenpconto erotico colega do laboratorio casadavou te arregaçar vagabunda, grita vadia, tô te arrombando cadelacorno sendo enrrabado contosmeu irmão me comeucontos eiroticos leilapornestupro esposa contos eroticoswww.xvideogravei/escondidomulheres sipr dotada xvideoMacho casado cheirando pezao de outro macho contosconto erotico minha mae é uma piranhano intestino roludo comendo a esposa com buceta peluda XNXXcontos erticos gang bang no nibus na ruacontos eroticos malv comendo as interesseiracoloquei o chot da gostosa pro lado e comi em 31 segundosConto provoquei meu pai super dotado e me assusteiminha esposa adora tomar minnha porra quentinhagrêlinhos lindosfedeu minha cunhada gordinha ate engravidarxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delacontos eroticos colega negão estuprando o novinho gaycontos eiroticos leilapornxvideos essa mulher fezes 32 homens de trouxamamãe dar a buceta para mimwaposa gostosa de mini saia arretando amigo do marido so de sainhadomestrica vendi meu cu virgem para meu patrao contos eroticosgostoza dando cu de 4 flagrei brechando e nao gosteitia e.ncina a novinha perde o cabassinho xvidios guria dando a buceta de causinhacasadoscontoseroticos chuvacontos eroticos crente e o mendigoesposa bunda ggg conto com negaoxvideo cazadas sendo comidas.por roludos cabessudoswww.clip16..com fragas novinhas fazendo sexo em favelas.comwww.casadoscontos Negra escraviza brancacontos porno cabelos da buceta chegaram a enrolabucetas grelo dedo e choupadas videos caseiros comendo esposa logo cedo videos para baixar escorrendo porraContos eroticos pilotarcusao de crioula velhaConto gay com o padrasto coxudominha mae pedio pra depilar minha xaninha i acabamos nos chupando filme brasileiromega trânsito caras dentro da b***** esfolada